Análise Fundamentalista

Três cenários para os mercados financeiros

Uma análise feita por especialistas analíticos da Olymp Trade


Ainda não há um entendimento comum sobre  a direção futura da economia global. Existem vários pontos de vista diferentes sobre isso. O crescimento da inflação mais cedo ou mais tarde fará com que os bancos centrais reduzam seus programas de estímulo monetário, o que definitivamente afetará as cotações. Vamos examinar a situação e falar sobre o futuro de curto prazo dos mercados financeiros globais.

As opiniões expressas por diferentes agências analíticas e especialistas independentes podem ser resumidas nos seguintes cenários possíveis para os mercados financeiros nos próximos dois anos:

  1. Apocalipse: os mercados logo terminarão em queda. Para os mercados dos Estados Unidos, isso significará uma redução de 40% ou 50%, da mesma forma que o Dow Jones Industrial Average estava perdendo seu valor durante a desaceleração do mercado de ações na década de 2000 e a crise financeira de 2007-2008.
  2. Queda gradual: os principais índices perderão gradualmente de 20% a 30% e retomarão seu crescimento.
  3. Cenário otimista: os mercados continuarão crescendo sem nenhuma correção significativa.

Cada um desses pontos de vista é apoiado por sólidos argumentos a favor e contra. Neste artigo, vamos discuti-los em detalhes e tentar descobrir por que os dois primeiros cenários têm maior probabilidade de acontecer do que o terceiro.

 

1º cenário. Apocalipse

Os pré-requisitos para uma correção mais profunda já estão no ar. Essa correção poderia reduzir o valor dos índices dos países desenvolvidos em 40-50%. Os índices dos países em desenvolvimento, tradicionalmente, perderão até 80% em valor. Por que isso pode acontecer? Tudo é muito simples: esse cenário pode se tornar realidade se os bancos centrais dos países desenvolvidos se recusarem a tomar as medidas adicionais de apoio econômico necessárias durante a pandemia.

George Cooper, um economista, fez um excelente trabalho mostrando como as economias são reguladas em seu livro “The Origin of Financial Crises”. Neste livro, ele descreveu o processo usando um Eurofighter Typhoon como exemplo. O Eurofighter Typhoon é uma aeronave de combate com um design aerodinamicamente instável de maneira intencional. Ele pode reverter sua trajetória de voo rapidamente. No entanto, isso cria certas dificuldades no controle da aeronave, e os sistemas eletrônicos do caça estão constantemente ajustando suas superfícies de controle (constantemente é a chave aqui). As políticas econômicas são constantemente ajustadas da mesma forma a fim de controlar o “voo” da economia.

No ano de crise de 2019, houve um desvio significativo dos processos econômicos da norma. A pandemia interrompeu as cadeias de suprimento, levou à redução do consumo e a um aumento significativo do desemprego. A maioria dos bancos centrais fez o mesmo para se ajustar à situação: começaram a imprimir dinheiro. Eles cortaram as taxas principais e injetaram dinheiro nos mercados por meio de programas de Flexibilização Quantitativa (FQ).

Olymp Trade - USA - Three scenarios for financial markets 2021.10.01
Fig. 1 Oferta de moeda M1 dos EUA

As injeções de dinheiro adicionais ajudaram as empresas a sobreviver e as impediram de ir à falência. Os mercados que poderiam ter entrado em colapso também conseguiram se manter. Há um limite para tudo – a taxa de inflação na maioria dos países está cada vez mais alta, o que significa que a aeronave econômica tem que ser ajustada, ou seja, o processo de injeção de dinheiro barato nos mercados tem que ser interrompido. Como consequência, os bancos centrais devem reduzir os programas de FQ e aumentar a taxa, o que levará às seguintes implicações inter-relacionadas:

  1. Aumento dos rendimentos dos títulos do governo.
  2. Quebra do mercado de ações.
  3. Ascensão do USD.
  4. Aumento dos preços do ouro.

No que diz respeito ao mercado de ações, as empresas com alto endividamento e grandes participações em empresas altamente alavancadas serão as mais atingidas. É por isso que as notícias sobre grandes inadimplências corporativas (como aconteceu com a Evergrande da China) serão sentidas de forma mais aguda.

Veja o exemplo de Evergrande. É a melhor ilustração dos níveis de integração econômica e do medo dos investidores. Em setembro, os participantes do mercado ficaram de olho na Evergrande, a maior incorporadora imobiliária da China. A empresa tinha acumulado US $ 305 bilhões em dívidas, mas não tinha dinheiro. Parecia que os mercados europeus não tinha nada a ver com isso.

Em primeiro lugar, todos imediatamente traçaram uma analogia com a falência do Lehman Brothers em 2008 e com o que isso acarretou. A dor da crise das hipotecas subprime ainda não cedeu, e a Evergrande, por sorte, é uma gigante imobiliária. Em segundo lugar, todos lembraram que o fundo de hedge americano BlackRock é o maior credor da empresa chinesa. A Evergrande deve cerca de US $ 400 milhões a ele. A gigante imobiliária chinesa também deve US $ 275 milhões ao Swiss UBS Group, cerca de US $ 200 milhões ao HSBC britânico e US $ 430 milhões ao grupo Ashmore. Em terceiro lugar, uma das principais razões é que os mercados são suscetíveis a notícias negativas, que agora são mais um problema psicológico do que econômico.

Portanto, podemos concluir que os mercados agora reagirão de forma especialmente acentuada a literalmente qualquer coisa. Compreendendo isso, os bancos centrais e seus chefes tentarão amenizar o golpe de todas as formas possíveis, o que nos faz pensar no segundo cenário possível.

 

2º cenário. Queda gradual

Preste atenção à retórica dos chefes dos bancos centrais. Em suma, isso é o que eles dizem:

– A taxa de inflação está aumentando?

– Sim, está.

– A taxa de desemprego está diminuindo?

– Sim, está.

– Já é hora de pararmos de injetar liquidez?

– É difícil dizer. Talvez seja.

Não há uma resposta definitiva para a questão de quando começa a redução gradual e a transição para uma política mais restritiva. Podemos, no entanto, afirmar com certeza que a retórica das autoridades monetárias está se tornando gradativamente restritiva.

As agências analíticas costumavam fazer previsões sobre o aperto da política monetária no longo prazo. Hoje, mais e mais especialistas dizem que o aperto começará nos próximos seis meses a um ano. De acordo com as pesquisas conduzidas pelo CNBC, BBG e RTRS, o Fed já indicará que vai frear suas medidas de estímulo emergencial no início da reunião de novembro.

Olymp Trade - BBG - Three scenarios for financial markets 2021.10.01
Fig. 2. Os resultados de uma pesquisa sobre redução gradual realizada pelo BBG

É assim que o Fed e outros bancos centrais estão tentando estabelecer uma redução gradual dos mercados, que pode ser chamada de “correção técnica” de 20-25 por cento. Essa correção resolveria dois problemas principais:

  1. Ela pode ajudar a reduzir o superaquecimento do mercado – no final do primeiro semestre do ano, a razão de capital para produção do PIB dos EUA (a razão da capitalização de mercado para o PIB nominal) era de cerca de 200%. Situação semelhante foi observada em todas as outras economias desenvolvidas.
Olymp Trade - GDP- Three scenarios for financial markets 2021.10.01
Fig. 3. A relação capital-produção do PIB 
  1. Manter o consumo. Lembre-se de que cerca de 60% das famílias dos EUA são membros do programa 401 (K). Ou seja, elas estão investindo no mercado de ações por meio de um plano de aposentadoria. Assim, a repetição do cenário do ano de 2008 não é a melhor opção para o Fed.

A queda deve ser a mais suave possível e a opção ideal seria prescindir de tudo.

 

3º cenário. Visão otimista

Os defensores desse cenário também têm seus próprios argumentos bastante importantes. Vamos dar uma olhada na situação com as ações FAANG. A relação P/L média do Facebook, Apple, Amazon, Netflix e Google é de 41,46, o que significa que o período de retorno desses títulos excede em média 40 anos. No entanto, o interessante é que os índices P/L de quase todas essas empresas permaneceram relativamente altos nos últimos cinco anos.

Olymp Trade - Amazon - Three scenarios for financial markets 2021.10.01
Fig. 4. Índices P/L: Amazon
Olymp Trade - Facebook - Three scenarios for financial markets 2021.10.01
Fig. 5. Índices P/L: Facebook
Olymp Trade - Apple - Three scenarios for financial markets 2021.10.01
Fig. 6. Índices P/L: Apple
Olymp Trade - Google- Three scenarios for financial markets 2021.10.01
Fig. 7. Índices P/L: Google
Olymp Trade - Netflix - Three scenarios for financial markets 2021.10.01
Fig. 8. Índices P/L: Netflix

Como você pode ver, apenas o P/L da Apple está perto de seus valores extremos. Outros gigantes americanos não têm esse problema.

Isso confirma a regra de que não há nada de especial no fato de o principal múltiplo P/L das ações das empresas de valor ser bastante alto. Como consequência, os defensores do cenário otimista apontam que o superaquecimento do mercado nada mais é do que um mito. Além disso, existe a opinião de que grandes participantes do mercado criam intencionalmente um panorama externo negativo para adicionar ações “baratas” às suas carteiras.

 

Conclusão

Todos os três cenários têm o direito de existir e cabe a você decidir qual deles deve usar. O bom senso diz que o primeiro e o segundo cenários são mais prováveis de ocorrer porque uma crise é sempre um momento de oportunidade, e uma crise profunda (1º cenário) é um momento de grandes oportunidades.

Uma queda no mercado de ações de 40-50% proporcionaria uma oportunidade de adicionar títulos mais baratos à sua carteira e obter um lucro decente quando o ciclo monetário restritivo terminar. A única coisa importante é ter dinheiro em mãos quando for necessário. A plataforma da Olymp Trade oferece o modo Stock Price Trade para aqueles que desejam investir em títulos baratos sem pagar taxas para abrir uma posição.

Related posts
Análise Técnica

Aroon Up & Down

O indicador Aroon foi desenvolvido para identificar as tendências no mercado e a direção do movimento de preços. A essência deste indicador é identificar e exibir mudanças de enfra...